sábado, 22 de agosto de 2009

A sétima inspiradela

Cada qual com a sua morada. Diz-me a tua morada. Se quiseres podes escreve-la no cantinho deste guardanapo que ainda guarda as memórias degustadas da minha ceia. Não tenhas medo.

Mãe, que guardas ai? Consegui espreitar o fundo da bolsa que carregas e vi os meus sonhos recalcados ou desfeitos, aqueles que de certa forma eram os teus. Estavam bem arrumados. Deixa-me vê-los. Deixa-me matar saudades dos tempos em que ainda conseguia vislumbrar a vivacidade do mundo, aquela que criei, para mim, aquela que ainda hoje me acompanha nas noite de sonhos perturbados. Não me deixes ter medo.

Chamemos as coisas pelos nomes! Como te chamas? Posso rebaptizar-te? O nome que trazes gravado ou não gosto ou tenho medo. O meu? ... Tu sabes!

Foi ao sétimo dia...

sábado, 1 de agosto de 2009

...no entretanto...

Não podia deixar de pendurar este texto, no cantinho mais especial do meu armário, onde o monstro vai quando quer ser feliz...

Para quem quiser saltitar nas reticencias do entretanto... uma viagem a não perder em:
http://www.semprenoentretanto.blogspot.com/

Por Lúcius:

Escritores do Além

Eis que no mundo das pastagens de letras, e blogues em bloco rodeados de contos, suspiros e descontos, surgem as personagens e as personalidades cujas características são, a paixão, a dica, o pensamento e o sabão.
O Sedutor Farsolas, coitado... Tem paixão, atrás de paixão. É perseguido pelo incontrolável momento do "Tão bonita! Não resisto!" Que destino havia Vicente lhe dar. O do desejo de romance infindável. Não te castigues.... A próxima será a da tua farsa.
Vá lá que o Monstro do Armário existe. Este escreve-se com letra grande, porque não é uma personagem, mas sim uma localidade. É o sítio do pensamento filosófico de cabide. Da dica pensada até ao mínimo pormenor. É onde se dá a tempestade da luz matinal que nos aquece a cabeça de fertilizante! Pensem loucos! Na loucura que perdura!
E a transformação? E onde existe a diferença? Onde fica o local das ideias do sim porque gosto, e é assim porque me apetece. Onde o amanhã pode não haver, mas para a próxima já é diferente. As mutações dão-se no cantinho da metamorfose. É onde a sinceridade é sinónimo de vontade. É como decifrar o código dos sonhos. É como cair numa espiral de imagem sem fim e flash profundo. É um oito feito em garra de grifo! É o estado mental em que me conheceste... Como um cenário de reticências
....no entretanto... não desesperem, mais notícias sobre vós, irão aparecer. Porque o que seria um entretanto se não fosse um rascunho e incompleto.
...
Mais coisas sobre: