segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

(...)


Questiono-me: De que fujo? O que procuro?

sábado, 6 de dezembro de 2008

A Quinta Inspiradela



Às vezes é estranha a sensação que de repente nos assola e nos transforma em vazio, não temos entranhas, o sangue já não nos aquece a pele, não pensamos, não temos querer, somos apenas um objecto oco que anda, fala, come, bebe... Pura mecânica...
Inspiro, mas um dia guardei e hoje não encontro, o procedimento para expirar...

Fly Joe, fly...

Eu espero…espero…e espero…
A pontualidade nunca foi o teu forte.

Eu acredito que existas…
Que merda…Não sou eu agnóstico?

Eu imagino-te…
Fogo… vezes sem conta!

Concebo-te…fantasio-te!
Mas os pobres nunca mereceram o Natal!

Eu procuro-te… ininterruptamente!
Acendam a luz, por favor, está tão escuro…

…Click…

Cegaste-me…E não te conheço a voz…

Eu choro…resigno-me…

Se já não servem para te ver
que outra serventia lhes hei-de dar?



Ref: Vicente Roskopt, 2008 in http://www.osedutorfarsolas.blogspot.com/



Que melhor maneira de homenagear o mestre para além de mostrar a sua obra???