quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

A décima primeira inspiradela - Palavras


Mais uma vez a inquietação das palavras.
Como se desencadeará o processo de escolher, organizar, conjugar, debitar letrinhas que ao se agruparem formam palavras, frases, textos, poemas, sonetos, declarações de amor, prosas mal escritas ou ainda conteúdos supérfluos?
Se a vida fosse contada ao segundo e se cada segundo correspondesse a uma palavra de pelo menos três letras, todas as teclas de um qualquer computador de silhueta avançada e moderna, mal tratado e agastado pelo tempo e pela raiva, gastar-se-iam à mesma velocidade de um metrónomo apressado que marca o compasso de uma composição musical de tom metálico e ainda assim, muito ficaria por dizer.
Palavras não chegam, não existem (?), não têm expressão, ferem por vezes, são sons inúteis que quebram o silêncio.