quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

A nona inspiradela

Foto por Ruben Ferrara Barulho



No caminho de casa, aquele em que já nem reparo por o saber de cor (mesmo sem o conhecer), pensava em como de repente saímos dos bastidores e nos tornamos animais de palco! Criamos os nossos personagens, representamos, imitamos, mentimos, somos heterónimos de nós próprios, homónimos do eu que nos dá nome... E nesta agastada pandemia solitária, damos por nós completamente dedicados à análise diária do próprio umbigo...

1 comentário:

André disse...

Lindo...e bem real:P