segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Eu tenho uma amiga que se chama Maria - Parte I



Maria esteve todo o dia à sua espera, ele era fruto do seu desejo, motor da sua imaginação, era a sua coincidência sistemática e o seu desígnio, ele era a ponte para a sua transformação e o traço intermitente da sua estrada.
Maria esteve todo o dia à sua espera mas sabia que não devia.
Maria esteve toda a noite à sua espera…

Sem comentários: