quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

A Luz

São só imagens, uma paleta de cores ofuscante. São confusas, um reflexo espelhado de nós próprios. São profundas, densas, sombrias...

Numa manhã enquanto dava meia volta na cama, dei por mim de pensamento perdido no meio de folhas cheias de palavras escritas à mão, numa perfeição que agora me incomoda. Tinha comprado aquele caderno num dia que passei sentada naquele banco de jardim (recordas?). Nesse dia, o vento zumbia incessantemente nos meus ouvidos e, na minha cabeça voavam imagens, palavras, recordações, desejos... Nesse mesmo dia pensei que assim fosse possível apagar as memórias que me perturbavam, mas hoje consegui perceber que há coisas que por mais que tentemos não são assim tão lineares...

Sem comentários: