quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

A Segunda Inspiradela


Inspiro tranquilamente pela segunda vez...

A humidade do ar quase não deixa que os meus pulmões se encham de oxigénio, sinto-os pesados... Mas qual o seu significado quando o que me fazem sentir são apenas alguns quilinhos que acrescento ao peso que me vai na alma?
Numa conversa que tive um dia com alguém que mal recordo, lembro apenas as palavras rudes e cruas com que me tentava dissuadir de um pensamento qualquer e dizia: "Somos a vida que temos, aquela que escolhemos..."

Hoje sinto-me assim, como o Sol esteve um dia...

2 comentários:

Anónimo disse...

Não tenhas a alma pesada... deixa ela ser leve como uma pena, para o seu rumo seguir ao sabor do vento.

Lua disse...

Como o Sol?
Uma Brasa? :)